Referências e Materiais do I Seminário Internacional Virtual de Justiça Restaurativa

DR ª ANNA MARIA DI MASI

Site do MPRJ
Site do CEMEAR – MPRJ
Facebook MPRJ
Instagram MPRJ

MADALENA RAMOS GOERNE

Site da MISEREOR
Facebook MISEREOR
Instagram MISEREOR

JAN DANIËLS

Site da KIYO
Facebook KIYO
Instagram KIYO
Facebook KIYO BRA

PEDRO PEREIRA

Justiça Restaurativa Aplicada aos Adolescentes Autores de Ato Infracional – Limites e Alcances de uma Experiência
Esta tese de Pedro Pereira, Coordenador do CEDECA RJ, discute os limites e possibilidades da prática da Justiça Restaurativa como referência para a ampliação da cidadania e do direito ao acesso à Justiça, para adolescentes autores de ato infracional.

PROF. DANIEL ACHUTTI

Canal Justiça Restaurativa Crítica
Instagram Justiça Restaurativa Crítica

JUSTIÇA RESTAURATIVA E ABOLICIONISMO PENAL
Na obra, o autor vai contra os procedimentos reinstitucionalizadores, projetando um modelo de Justiça Restaurativa fundamentado no saber criminológico crítico consolidado por Louk Hulsman e por Nils Christie. A possibilidade de fraturar o paternalismo e a verticalidade do sistema penal está, pois, na negativa radical da lógica imposta pelo Direito Penal. Este é o caminho que Daniel Achutti percorre para buscar algo novo e abandonar o velho em crise.”





PROF. IVO AERTSEN

The International Journal of Restorative Justice














Site do Leuven Institute of Criminology (LINC)

CELIA PASSOS

http://www.isaconsultoria.com.br/

Circulando Dentro e Fora Dos Círculos
Celia Passos compartilha a sua história e sua experiência em livro estruturado em quatro partes: na primeira, Valores na prática cotidiana – Influência dos princípios na formação como facilitadora de diálogos, são narradas histórias pessoais da autora e a forma como foi construindo o seu caráter e visão de mundo.
Na segunda, Elementos Estruturais dos Círculos – passeando dentro e fora do Círculo, trata da estrutura metodológica dos Processos Circulares.
Na terceira, Princípios da Facilitação – uma construção fundada na vivência, cunha os princípios emancipatórios da facilitação de Círculos.
Na quanta parte, intitulada A história que restou contar, a autora retorna aos valores, trazendo à luz o valor Fraternidade. Por fim, no Apêndice, entrelaça as bases metodológicas que sustentam a sua prática em diferentes contextos.
Com leveza e profundidade instiga memórias e convida à reflexões ao longo da leitura.

JOÃO SALM

Artigos e Citações

%d blogueiros gostam disto: