CEDECARJ

Notícias

CLIQUE AQUI para conferir o resultado COMPLETO dos selecionados para a Prova Escrita e Entrevista para Assistente Social.

LEIA AQUI o Edital para os requerimentos das etapas.

CONFIRA AQUI a retificação do Edital.

CLIQUE AQUI para conferir o resultado dos selecionados para a Prova Escrita e Entrevista para Advogado(a).

LEIA AQUI o Edital para os requerimentos das etapas.

CONFIRA AQUI a retificação do Edital.

CLIQUE AQUI para conferir o resultado dos selecionados para a Prova Escrita e Entrevista.

LEIA AQUI o Edital para os requerimentos das etapas.

CONFIRA AQUI a retificação do Edital.

CLIQUE AQUI para conferir o resultado COMPLETO dos selecionados para a Prova Escrita e Entrevista de Educador Social.

LEIA AQUI o Edital para os requerimentos das etapas.

CONFIRA AQUI a retificação do Edital.

CLIQUE AQUI para conferir o resultado dos selecionados para a Prova Escrita e Entrevista.

LEIA AQUI o Edital para os requerimentos das etapas.

CONFIRA AQUI a retificação do Edital.

Hoje marcam os 18 anos desde a oficialização da campanha do dia 18 de Maio do Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes.

O 18 de maio existe para trazer a tona a importância da mobilização e convocação da sociedade nessa luta. Proteja nossas crianças e adolescentes, Faça Bonito, sempre!

Ontem, 15 de maio, foi o último dia para o envio de dados para a inscrição no Processo de Seleção de Cadastro de Reserva para o PPCAAM-RJ. Fique muito atento para a publicação de uma Retificação no Edital Nº 001/2018 do CEDECA-RJ.
LEIA A RETIFICAÇÃO AQUI

Aconteceu na última quinta-feira, 10 de maio de 2018, na Associação Beneficente São Martinho o encontro mensal da Rede Socioassistencial Local do Centro de Referência de Assistência Social Profª Ismênia de Lima Martins, na qual o CEDECA RJ integra. Estiveram presentes parceiros e pessoas interessadas no tema do Trabalho infantil e a Exploração sexual de crianças e adolescentes. As debatedoras Fátima Chammas e América Ungareti, refletiram sobre conceitos e desafios para os profissionais da rede de garantia de diretos. Destacaram a importância da articulação da rede para o enfrentamento de violências e garantia de direitos. Profissionais da assistência, saúde, educação possuem um papel fundamental, com um olhar atento para a identificação e encaminhamento das famílias aos para órgãos competentes para apoio e orientação.

Nesta sexta-feira, 18 de maio, ocorrerá o evento “Panorama da Criança e do Adolescente em Situação de Violência Sexual no Rio de Janeiro” das 9:00 às 13:30 no Auditório da OAB-RJ localizada na Rua Marechal Câmara, 150.

18 de maio é o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes e a Comissão Organizadora do evento tem o objetivo de sensibilizar, mobilizar e propor um processo de articulação para a revisão do Plano Municipal de Enfrentamento às Violências Sexuais contra Crianças e Adolescentes do Rio de Janeiro.

O evento conta com a inciativa da Comissão Organizadora constituída pelo Comitê de Proteção Integral a Crianças e Adolescentes nos Megaeventos do Rio de Janeiro; Fórum Estadual de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (FEPETI), Rede ECPAT Brasil; Canal Futura; Cidadania, Estudo, Pesquisa, Informação e Ação (CEPIA); Conselho Estadual de Defesa da Criança e do Adolescente do Rio de Janeiro (CEDCA) e Instituições que integram o Acordo de Cooperação para o Combate ao Trabalho Infantil no Estado do Rio de Janeiro.

Clique aqui para visualizar a imagem por completo.

Faça Bonito!

Esta quinta-feira, dia 10, é marcada pelo lançamento do Comitê para Prevenção de Homicídios de Adolescentes no Rio de Janeiro em que o CEDECA RJ faz parte. Esse comitê é uma instância intersetorial de pesquisa, debate, mobilização e incidência para desenvolvimento e fortalecimento de políticas públicas de prevenção de homicídios de adolescentes. Com atuação prevista até 2020 e com abrangência estadual, o Comitê tem seu foco inicial de atuação na capital.

Os adolescentes no Rio de Janeiro querem viver e cada vida importa. Mas hoje os adolescentes correm mais risco de serem assassinados do que a população em geral, especialmente se meninos, negros, moradores das favelas. Somente na capital, foram 335 meninos e meninas assassinados em 2016, segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde. No ano anterior, foram 278 vidas interrompidas – quase todos meninos, negros, moradores das favelas. Segundo estimativa do UNICEF, cerca de 29 meninos e meninas são assassinados diariamente no País.

Articulado pelo UNICEF, o Comitê reúne Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro, Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) e o Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro; Comissão de Defesa dos Direitos Humanos e Cidadania, Comissão de Segurança Pública e Assuntos de Polícia e Comissão de Assuntos da Criança, Adolescente e Idoso da ALERJ; Secretaria Estadual de Segurança Pública, Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro, Policia Militar do Estado do Rio de Janeiro e Instituto de Segurança Pública (ISP); Secretaria Estadual de Direitos Humanos e Políticas para Mulheres e Idosos; Conselho Estadual de Defesa da Criança e do Adolescente (CEDCA-RJ); Casa Civil da Prefeitura do Rio de Janeiro e Instituto Pereira Passos (IPP); além de atores da sociedade civil, como Centro de Defesa dos Direitos da Criança do Adolescente (CEDECA), Centro de Promoção da Saúde (CEDAPS), Instituto de Estudos da Religião (ISER), Laboratório de Análise da Violência da UERJ (LAV/UERJ), Luta pela Paz, Movimento Moleque e Observatório de Favelas.

Confira a imagem do gráfico de homicídios nos países aqui.

No dia 10 de maio, quinta-feira, ocorrerá o evento “Café com a Doca – Atualizações em Ofensa Sexual: Em Face da Criança e Adolescente” de 10:30 às 13h.
O evento conta com a presença do Coordenador Executivo do CEDECA RJ Pedro Pereira e acontecerá na Faculdade de Direito da UERJ, Salão Nobre do 7º Andar.
Confira a chamada na íntegra através do link aqui.

O ISP (Instituto de Segurança Pública) do Rio de Janeiro publicou o Dossiê Mulher 2018, uma publicação anual que visa contribuir com o aumento da visibilidade trazendo informações relativas à violência contra a mulher no Estado do Rio de Janeiro. O relatório aborda os principais crimes que milhares de mulheres sofrem cotidianamente, como a lesão corporal dolosa, a ameaça, o atentado violento ao pudor, o estupro, o homicídio doloso e a violência doméstica.

O Dossiê Mulher 2018 mostra que  as mulheres continuam sendo as maiores vítimas dos crimes de estupro (84,7%),  ameaça (67,6%), lesão corporal dolosa (65,5%), assédio sexual (97,7%) e importunação ofensiva ao pudor (92,1%). Boa parte dos crimes contra as mulheres são cometidos por pessoas com algum grau de intimidade ou proximidade com a vítima, ou seja, são companheiros e ex-companheiros, familiares, amigos, conhecidos ou  vizinhos.

Um dado alarmante que é importante dar destaque é que 66,6% das vítimas de estupro do sexo feminino eram crianças ou adolescentes.

Visualize o Dossiê na íntegra clicando aqui e confira o infográfico aqui.

Confira também a visualização interativa de dados de violência contra a mulher no Rio de Janeiro clicando aqui.

Clique aqui para conferir todos os “Dossiê Mulher” dos anos anteriores.

Veja a notícia do Dossiê 2018 na íntegra aqui.